Sobre o Blog

Blog sobre o Vale do Amanhecer, Doutrina concebida pela Espiritualidade Maior e executada por Neiva Chaves Zelaya, um Espírito de Luz Altíssima, conhecido nos Planos Superiores por Agla Koatay 108. O Vale recebe pessoas sem distinção para solução de problemas espirituais. Nada cobra de seus pacientes e nem exige frequência. Temas espirituais diversos são tratados aqui. Vicente Filgueira, Adjunto Esdalvo - Jornalista (Registro Profissional Fenaj 274/03/38§ v/DRTGo-01364-SJP)


Marcadores

29 de mai de 2012

Prece Katshimoshy

Prece dos ciganos Katshimoshy
(Faça esta Prece preferencialmente a céu aberto. Não deve ter nenhum obstáculo acima da cabeça, como telhado ou árvore)

Cigana Valkíria, que rege as Ciganas Aganaras



Senhor! Eu Te agradeço pela vida e por esta nova manhã!
Ajuda-me a encontrar as pessoas que devo,
a ouvir aquelas com quem queres que eu me comunique...
Mostra-me como ajudá-las ou como receber
alguma coisa que tenham a dar...
Ajuda-me a ser um auxílio, uma benção aos meus!
A Ordem Divina tome conta de minha vida hoje e todos os dias!
Hoje é um novo e maravilhoso dia,
E nunca haverá um dia como este...
A minha vida é comandada pela Forma Divina
e tudo o que eu fizer irá prosperar...
O amor Divino me cerca, me envolve e me protege
E eu caminho em paz!
Sempre que minha atenção for desviada
do que é bom e produtivo,
eu a trarei de volta para a contemplação
do que é admissível e de boa fama
Sou um imã mental e espiritual,
atraindo todas as coisas que me fazem prosperar...
Hoje eu vou alcançar um enorme sucesso
em todas as minhas tarefas...
Hoje eu vou ser feliz o dia todo! Salve Deus!


Vicente Filgueira
Editor de Conteúdos
Esta prece, que Tia Neiva nos trouxe em sua Clarividência, conta do povo cigano Katshimoshy, uma tribo que viveu na região da Rússia e da Hungria e que, em uma de suas muitas tentativas de fugas, acabou sendo dizimada por diversas alcateias formadas por animais famintos (lobos) que comeram aqueles ciganos, homens, crianças e idosos, dilacerando as suas carnes vivas. Eles já havia sofrido todo tipo de acusações - de furtos a roubos e assassinatos - e ainda sofriam com a convivência forçada nas terras formadas por gelo, sofrendo frio, sede e fome. Todos os sábados, nos fundos da Casa Grande, já é rotina ver a Primeira Cigana Aganara Nercy e  o Regente de Apoio das Aganaras, o Adjunto Palário, Mestre Aboud, se reunindo com as ninfas missionárias ao término do Abatá da falange, para o agradecimento a Deus pela oportunidade recebida, quando todos emitem a Prece Katshimoshy. 

As Aganaras



Nercy Aboud
1ª Cigana Aganara
As Ciganas Aganaras representam o Espírito Nômade, o Jaguar, conforme declara nossa Mãe Clarividente na Lei dos Prisioneiros. Recordam as Ciganas a Tribo Katshimoshy, na velha Rússia, quando sua Capital ainda era Leningrado.

Ali encarnou esta Tribo trazendo o Misticismo e o seu Plexo com a Força Bruxa, que propiciava a leitura da buenadicha, ou seja, a previsão do futuro nas mãos e nas cartas.

Tínhamos também a capacidade de lidar com as plantas e as raízes para curar. Estas eram vendidas e muitas das vezes as pessoas compravam para fugir das nossas pragas, que ficaram famosas pelos seus efeitos.

Os homens da Tribo tocavam violão, violino, banjo e pandeiro, e também faziam jóias de ouro e prata, e tachos de cobre para comercializar. Vendiam cavalos e galinhas, sendo que muitas vezes o cavalo era pintado conforme a vontade daquele que o encomendava, e o resultado quase sempre era drástico, pois ao lavarem o animal a tinta saia.

As festas eram lindas, as mulheres dançavam, os homens tocavam, e não faltavam as fogueiras para aquecer e afastar as feras, entre outras os lobos. Até hoje nenhum Espírito Cigano, encarnado, suporta ouvir o uivo de um cão, pois se lembra dos lobos famintos que comeram muitos de nós.

Deslocamo-nos da Rússia para a Espanha. Na viagem muitos pereceram (morreram) de fome, de frio, ou comidos pelos lobos. Somente os que tinham fé sobreviveram, levando o Talismã Katshimoshy.

De acordo com os escritos de Nossa Mãe Clarividente, as Velhas Ciganas são hoje as Primeiras de Falange, as quais ela enumera, dando inclusive seus nomes ciganos. Espíritos muito preparados, pois a sabedoria passava de uma para outra, não importando se quem recebia era sua filha de sangue, o importante é que todos eram unidos pelo sentimento igualitário, como se todos fossem pais e filhos uns dos outros.

Este sentimento de fraternidade e amor de nosso Povo, ainda perdurou no exemplo de nossa Mãe Clarividente (Natacha), que não fazia distinção entre nós, todos éramos iguais para ela, todos eram seus filhos e os filhos destes seus netos.

Graças a Deus posso dizer que amamos o nosso Povo, porque tenho presenciado grandes provas disto, não somos melhores nem piores, somos diferentes, palavras de nossa Mãe Tia Neiva. A  relação da Cigana Aganara com as crianças é muito íntima, sendo mesmo uma missão originada em nossa herança transcendental, pois como nos ensinou Tia Neiva, no texto que fala da tribo Katshimoshy, afirma que as ciganas faziam previsões, liam a sorte nas cartas, eram quiromantes, bruxas e curandeiras e ensinava o que sabiam, não só aos filhos de sangue, mas, aos filhos de outros, como se fossem seus...
Por isto, é grande o número de ninfas pertencentes à Grandiosa Falange das Ciganas Aganaras e que têm relacionamento afetivo por crianças, seja por decorrência da profissão, de atividades relacionadas ou por laços de família, sempre se preocupando em transmitir conhecimento e demonstrando proteção.Tia Neiva, a nossa Natacha, é exemplo vivo desta verdade que pode ser comprovada pelo grande amor que demonstrava pelo pequenos, sempre os acolhendo em seu enorme coração de mãe.