Sobre o Blog

Blog sobre o Vale do Amanhecer, Doutrina concebida pela Espiritualidade Maior e executada por Neiva Chaves Zelaya, um Espírito de Luz Altíssima, conhecido nos Planos Superiores por Agla Koatay 108. O Vale recebe pessoas sem distinção para solução de problemas espirituais. Nada cobra de seus pacientes e nem exige frequência. Temas espirituais diversos são tratados aqui. Vicente Filgueira, Adjunto Esdalvo - Jornalista (Registro Profissional Fenaj 274/03/38§ v/DRTGo-01364-SJP)


Marcadores

26 de ago de 2012

Fanatismo

Porta do Templo do Amanhecer em Brejo da Madre de Deus

Os principais alvos da revolta da população de Brejo da Madre de Deus foram os terreiros de culto afro-brasileiros e até um centro doutrinário espiritualista cristã do Agreste. A delegacia do município só registrou um caso de depredação, mas a reportagem da TV Clube/Record flagrou pelo menos quatro ocorrências. Populares afirmaram que sete terreiros de umbanda foram invadidos e saqueados em São Domingos e em Santa Cruz do Capibaribe.



O Vale do Amanhecer, centro de doutrina espiritualista Cristã, também foi alvo da ira da população. Um funcionário do templo, Emanuel Jonas da Silva, chegou a ser agredido pelos populares e prestou depoimento à polícia. O centro só não foi incendiado porque policiais militares conseguiram impedir a ação dos manifestantes. O grupo ainda conseguiu saquear o Templo e destruir objetos do local. Tronos, Mesa Evangélica e imagens. "As pessoas estão invadindo os espaços aleatoriamente. Muitos não conhecem a história das religiões e estão cometendo injustiças". Apontou o delegado Antônio Dutra.




Para o coordenador nacional de formação da Rede Afro LGBT Carlos Thomás, a revolta da população do Brejo da Madre de Deus está atingindo e difamando as outras religiões. "Estão destruindo todos os terreiros do Agreste. Vão matar nosso povo por falta de conhecimento. Essas pessoas que mataram a criança nada têm a ver com a religião africana. É preciso diferenciar para que injustiças não sejam cometidas", ressaltou. "As religiões de matrizes africanas e indígenas não têm rituais que evolva sacrifício humano. O preconceito em relação a essas crenças ainda é muito grande", completou.
Em uma entrevista realizada com Emanoel Junior (21 anos), frequentador do local, o mesmo afirma que o centro espírita Vale do Amanhecer foi invadido devido a atos de intolerância.

Segundo Emanoel, o local não trabalha com rituais que envolvem sacrifícios de animais, seres humanos ou práticas que envolvem satanismo, alegando que o local foi atacado devido a intolerância religiosa por parte das pessoas das proximidades e que, por pouco, não foi espancado: “Vieram culpar o Vale do Amanhecer pela atrocidade que houve com o pessoal de São Domingos. Sairam apedrejando todo mundo e só não acertaram a minha pessoa porque eu me retirei para um cercadinho ao lado. Alguns deles me puxaram, me jogaram no meio do povo para me espancar e eu consegui correr”, afirmou.


Ainda com as roupas rasgadas, o jovem afirmou que o Templo religioso não trabalha com religiões afro-brasileiras e deu seu testemunho dos fatos na DEPOL.



População saqueia e queima terreiros
Violência foi motivada por assassinato de um menino durante um ritual macabro
O distrito de São Domingos, em Brejo da Madre de Deus, e Santa Cruz do Capibaribe amanheceram em alerta ontem. Logo nas primeiras horas da manhã uma onda de violência tomou conta das duas localidades. Moradores resolveram invadir, saquear e queimar casas usadas como terreiros, promovendo uma verdadeira ‘caça as bruxas’ contra pais-de-santo e espíritas. Foi difícil conter os revoltosos que agiam de forma simultânea em pontos distintos. A população envolvida nos arrastões justificavam as ações de vandalismo como uma “vingança” pela morte do menino Flanio da Silva Macedo, de 9 anos, vítima de um ritual macabro.
__________________________
A fala do professor Carlos Tomaz que também é membro do Quilombo Cultural Malunguinho reverberou bastante e foi positiva para contribuir na quebra dos preconceitos de grande parte da população não só do agreste pernambucano como de todo Brasil. A partir desta matéria podemos perceber a mídia se preocupando em consultar pessoas sérias de nossa religião para dar melhores consultorias sobre o tema. Se isso tivesse sido feito antes poderia ter evitado a revolta da população leiga que saberia distinguir religião de matrizes africanas e indígenas de magia negra ou culto macabro com sacrifícios humanos.

O menino Flanio da Silva Macedo, 9 anos, cujo corpo foi encontrado anteontem na zona rural do distrito de São Domingos, em Brejo da Madre de Deus, no Agreste, foi morto num ritual macabro e cruel. Segundo a polícia, cinco pessoas praticaram o crime. O casal Genival Rafael da Costa, 62, e Maria Edleuza da Silva, 51, confessou o crime e está preso. Também foram detidos na noite de ontem Ednaldo Justo dos Santos, 33, e Edilson da Costa Silva, 31. A polícia procura um pai de santo, apontado pelo casal como outro envolvido.
De acordo com as investigações, Flanio sofreu violência sexual por cerca de 20 minutos antes de morrer. No ritual, teve o pescoço apertado por um torniquete de madeira até a cabeça se separar do corpo. Segundo o delegado responsável pelo caso, Antônio Dutra, o casal, que também morava em São Domingos, ficou com medo de ser descoberto e linchado pela população e se entregou no posto policial do distrito.
“Eles contaram ter recebido R$ 400 do pai de santo para pegar o menino e participar do ritual. Antes de matar a criança, Genival e o pai de santo se revezaram em atos de abuso sexual”, detalhou Antonio Dutra. Segundo ele, os outros dois homens acompanharam o crime, mas não participaram do abuso.
Flanio Macedo estava desaparecido desde o dia 1º, quando saiu de casa, na Travessa Ana Maria da Conceição, por volta das 6h, para carregar frete na feira. Depois de procurar a polícia e a imprensa, parentes souberam que ele tinha sido visto na zona rural empurrando a carroça e na frente um homem, em uma bicicleta.

O corpo do menino foi encontrado anteontem,
em estado de decomposição, num local de difícil acesso, no Sítio Camarinhas, em Brejo da Madre de Deus. Flanio Macedo estava com a cabeça a cerca de um metro do corpo e sem os olhos. Seus braços e pernas foram amarrados e ele estava sem roupas.

Perto do corpo havia objetos usados em rituais, como bonecos vo
dus, penas, ossos, velas, panelas e comida. A carroça com que o menino fazia frete também estava no local, que segundo a polícia, é conhecido pelos rituais de magia negra. O corpo foi encaminhado para o Instituto de Medicina Legal do Recife.

Segundo o pesquisador do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Inclusão (INCTI) da Universidade de Brasília, Alexandre L’omi L’odò, o ritual não pode ser enquadrado no campo das religiões de origem afro. “Não conheço dentro das religiões de
matizes africanas e indígenas nenhum ritual que envolva sacrifício humano. Dentro do meu campo de estudo, nunca ouvi falar em ritual de retorno.”

Mais Noticiário

Revoltados com o crime ocorrido com o menino Flanio da Silva Macedo, 9 anos, que foi abusado sexualmente, morto e teve a cabeça separada do corpo em ritual macabro, moradores de Brejo da Madre de Deus, no Agreste do Estado, promoveram um verdadeiro quebra-quebra em algumas residências da cidade nesta quinta (12). De acordo com informações da polícia, os manifestantes invadiram e destruíram casas de pessoas q ue, segundo julgam, podem estar ligadas ao crime por praticarem cultos religiosos de matriz afrodescendente. Pelo menos seis residências já foram invadidas e quebradas. O principal alvo dos ataques são locais que possuem imagens de santos, já que chegou-se a vincular o crime a ritual religioso, fato descartado, pelo menos por enquanto. Uma das residências destruídas pelos manifestantes era ocupada por uma religião conhecida por Vale do Amanhecer de Tia Neiva.

À tarde, houve reforço no policiamento na cidade, com a chegada de dois helicópteros e mais carros da Polícia. Com isso, o clima de revolta diminuiu e pe lo menos uma pessoa foi detida. Cinco casas foram incendiadas pelos manifestantes, e de acordo com o Corpo de Bombeiros, um caminhão-tanque precisou ser deslocado à cidade de Santa Cruz do Capibaribe para controlar as chamas.

(Novas informações serão publicadas ainda hoje neste blog . Fotografias tambem estão sendo providenciadas. Fatos revoltantes como esses não poderiam deixar de ser noticiados neste espaço.)