Sobre o Blog

Blog sobre o Vale do Amanhecer, Doutrina concebida pela Espiritualidade Maior e executada por Neiva Chaves Zelaya, um Espírito de Luz Altíssima, conhecido nos Planos Superiores por Agla Koatay 108. O Vale recebe pessoas sem distinção para solução de problemas espirituais. Nada cobra de seus pacientes e nem exige frequência. Temas espirituais diversos são tratados aqui. Vicente Filgueira, Adjunto Esdalvo - Jornalista (Registro Profissional Fenaj 274/03/38§ v/DRTGo-01364-SJP)


Marcadores

4 de ago de 2012

Poder do Oráculo


Cabala é uma palavra hebraica que significa “lugar elevado” e designa, também, aspectos secretos de uma doutrina. Na nossa Doutrina do Amanhecer, cabala é um ponto etérico, onde são manipuladas energias. Tia Neiva tem a sua cabala, assim como Pai Seta Branca e Jesus também tem suas cabalas. Desde tempos antigos o Homem aprendeu a manejar as forças das cabalas, como se podem verem muitas ruínas. No Vale do Amanhecer existem várias cabalas, desde a Estrela Candente até as Cassandras.
Sobre o poder da cabala, nos ensinam Humahã e Tia Neiva: “Conhecendo bem as leis e as forças da Cabala, às vezes nos admiramos tanto, porque certos homens, que tiveram a graça de ser inteligentes, preferiram, no entanto, viver com suas armas presas nos estreitos limites do corpo humano, resistindo até mesmo aos esforços dos Poderes Superiores. O medo do ridículo, provocado pelo orgulho!... Não sabe o Homem que seria mais inteligente se aprofundar para criar!...”
Humahã – Outubro de 1962. “Sim, o poder cabalístico é que nos dá a faculdade de extrair a nossa energia. A Estrela Candente é cabalística, e nela nos libertamos. Libertamo-nos porque emitimos a nossa energia, e este ritual cabalístico nos conduz o poder das Amacês e das Cassandras... O mundo inteiro - ou todos os Homens do mundo - não conseguem o que SETE Homens na força cabalística podem fazer! E, no Vale do Amanhecer, tudo é cabalístico. Por conseguinte, tudo é possível aqui...”
Tia Neiva – 19/09/1980.

Cassandra – é um tipo de cabala, onde se projeta a força do Ministro ou da Princesa, ou de outra entidade a que for destinada. Na Cassandra, dispõe o mestre de toda uma força concentrada. A ninfa Dharman Oxinto, por exemplo, quando senta na Cassandra de sua Falange, dispõe da força das Dharman Oxinto do espaço, da Princesa Aline, e pode enviar esta força a qualquer pessoa, em qualquer lugar, para ajudar. A mentalização na Cassandra é fortíssima, e consegue grandes fenômenos. Oráculo – é outro tipo de cabala. É um ponto emissor de forças, que são projetadas por seus Raios ou Raízes, na medida da necessidade do mestre que as vai manipular. Muitos são os oráculos nos planos espirituais, mas, na Terra, temos a ação de três grandes Oráculos: o de Ariano, o de Olorum e o de Obatalá. Esses oráculos emitem seus raios, e que cada raio é um poder. Dessa força dispõe o mestre, segundo sua harmonia e seu desenvolvimento. Não se sabe de quantos raios dispõe um mestre, porque, de acordo com sua evolução, com suas consagrações, passa a dispor de mais forças.
Cada força ou raio, tem sua especialidade. Não existe maior ou melhor raio. Existe, apenas, a Soma dessas forças, desses raios.
Assim, o mestre consciente, desenvolvido e harmonizado, disporá de um conjunto de forças que o tornarão apto a grandes realizações, a trabalhos dificílimos, pela ação dos raios que se projetam desde os oráculos e se acumulam em seu plexo. Raiz – é algo como um estado de acomodação de forças, em movimento de destaque. São formadas pelos Grandes Iniciados na Terra, e, agora, com o nosso trabalho, estamos homogeneizando a Raiz do Amanhecer. Cada raiz tem o seu conceito, porque atrai sempre a mesma origem. As raízes formam uma contagem. A raiz que nos rege, no momento, é a de Araken, um raio do Oráculo de Ariano. Oráculo de Ariano ou Oráculo de Simiromba – significa “Raízes do Céu”, e é a junção de sete Raízes Universais, que trazem todo o acervo de forças necessárias aos trabalhos para auxílio de encarnados e desencarnados que se prendem ao plano terrestre. É o Sol Simétrico: Simiromba – é a junção das sete raízes universais. Quando Simiromba se desloca, na sua ordem também vão se deslocando as raízes, segundo sua necessidade, porque as forças nunca se deslocam em vão. Simiromba é a reunião das forças do Oráculo de Ariano, isto é, dispõe dos sete Poderes, podendo atuar com um ou, ao mesmo tempo, com todos eles. Portanto, Simiromba é a regência desses sete Ministros, que atuam, cada um, diretamente, sobre nós e nos auxiliam em nossos trabalhos, da seguinte forma:
Eridan – é o Raio que emite para os trabalhos de desenvolvimento. É o primeiro Raio Iniciático, a força primeira que se projeta em um mestre “a Caminho de Deus”, que inicia seu desenvolvimento.

Oner – é o Raio da Iniciação, a força dos Grandes Iniciados que se projeta quando o mestre faz sua Iniciação, e se soma à força de Eridan.

Adones – é a força que se projeta, unindo-se às duas primeiras, quando o mestre faz sua Elevação de espadas, e forma em seu plexo um conjunto de forças de grande poder desobsessivo.


Araken – é o Raio que se projeta no mestre após a Consagração da Centúria, e o torna apto a todos os trabalhos de nossa Doutrina. Araken é o 3.º 7.º de Xangô, responsável pelo transporte e pela Lei de Causa e Efeito.

3.º 7.º - é um comendo, uma força que pode portar outras, em conjunto. É o canal de emissão na Linha do Amanhecer.

Xangô – é um Orixá. Orixás são regentes de determinadas forças. Xangô é portador da grande força da Terra, tanto na Linha Africana como na Linha do Amanhecer.


Delanz, Alufan e Aton – são outras raízes, os Adjuntos de Araken, que se deslocam na medida das necessidades do trabalho.


Akinaton – é a força derivada de Aton. Não é uma raiz, e sim uma força decrescente daquele Adjunto, Raiz de Simiromba.


Oráculo de Olorum – é a cabala que manipula as forças que apóiam os aparás. São sete raios que ajudam o mestre de incorporação a se manter equilibrado e com toda a sua força. No momento, dispomos dos seguintes Raios de Olorum:


Ifan – Cavaleiro Ligeiro – é o que conduz os espíritos para a incorporação no médium, para que possa ser doutrinado, para que receba a carga de ectoplasma necessária à sua recuperação;
Oxan-By – é a força da cura, do plexo físico e do espírito;
Lança Vermelha – é o Cavaleiro da Cura Desobsessiva, da cura dos espíritos. Manipula as forças para que os médicos do plano espiritual, nos trabalhos de cura, possam trabalhar;


Chapanã – é o Cavaleiro da Lança Negra, a força da Justiça Final e aquele que executa a decisão divina de retirar um espírito encarnado que está comprometendo seriamente a si mesmo e àqueles que o cercam. É quando um espírito errante, que se excede no ódio e na maldade, e tem que ser interrompido, ou até mesmo desintegrado, que age Chapanã.


Oráculo de Obatalá – é o Oráculo do Amor, das forças regidas pelo grande Oxalá. Obatalá é um Ministro de Oxalá, um elevado Espírito. O Oráculo de Obatalá emite raios de grande poder curador. É onde são tratados os espíritos que precisam de ajuda: os sofredores, os doentes, os perdidos no ódio. É uma poderosa força que atua como luminoso farol na escuridão. Para lá são encaminhados os espíritos que passam nos trabalhos, pela elevação. A elevação do Doutrinador tem toda uma força cabalística. Daí o seu poder, o cuidado que se deve ter em fazê-la corretamente.
Correntes Brancas do Oriente Maior – são Raios ou Raízes do Oráculo de Obatalá. Dessas Correntes fazem parte as Linhas dos Pretos Velhos, dos Caboclos, das princesas e das Sereias.


Tapir – Força nativa predominante no Reino Central, é um Raio de Obatalá, que projeta principalmente sua força no Doutrinador.


Jurema – é um Adjunto do Oráculo de Obatalá, que rege as forças desobsessivas projetadas por Obatalá. Estamos aprendendo a manipulá-las e, em conjunto com as outras forças, vamos construindo a Raiz do Amanhecer, que formará o Oráculo de Koatay 108, pela junção das forças da Terra e do Céu, Istoé, Xangô e Pai Seta Branca, manipuladas por Tia Neiva.
Reino Central – é a reunião dos três Oráculos: Simiromba, Olorum e Obatalá. Quando um mestre se coloca como representante do Reino Central, a força que manipula é grandiosa e intensa. Se não estiver bem equilibrado, em perfeita sintonia, cumprindo a Lei, pode ser um grande desastre o seu comando. É uma grande missão,mas o mestre deve ser consciente e saber se está em condições de manipular tão gigantesca energia. Senão, arrisca-se muito.
Grande Oriente de Oxalá – é o Oráculo de Obatalá. Oxalá é um espírito de alta hierarquia, que está muito próximo de nosso Pai Celestial. Ilumina e vibra na Corrente Oriental do Amanhecer, ajudando Koatay 108 a ir preparando seu povo, através de transformações iniciáticas, e formando a Raiz do Amanhecer, em conjunto com Simiromba e Olorum.
Estrelas – são 3 falanges, formando 21 Sandays, que partiram dos três Oráculos e se colocam à mercê de Koatay 108, que faz a contagem das estrelas.
Cada Estrela – Sivans, Harpásios, Vancares, etc. – forma um Amacê, com a especialidade do desenvolvimento de uma missão. Representam uma reserva de energias adequadas às condições que se apresentarão nesse liminar do III Milênio.
Amacê – é uma nave, uma estrela, um portal de desintegração, que se apresenta com precisão nos trabalhos. Pode carregar espíritos, emitir energia, transmutar energia, passando de um plano para outro. Os horários devem ser obedecidos, quando são estabelecidos para determinado trabalho, porque, se houver atrasos, corre-se o risco da Amacê ir embora, e o trabalho não contar com essa força. É o caso, por exemplo, da Estrela Candente. A cada consagração, na Estrela, naquele preciso horário, está presente uma Amacê.
Oxosse – é um Raio de Olorum, que nos rege e nos guarda, na sutileza de nossa alma. Seus Adjuntos – os Cavaleiros de Oxosse – fazem os trabalhos desobssessivos e se encarregam de conduzir os espíritos para as casas transitórias, os albergues e hospitais do espaço
Lança Lilás – não é um Raio de Oráculo, e sim um trabalhador que se harmoniza com Olorum, é o Cavaleiro da Cura do Plexo Físico.
Lança Rósea – é o Cavaleiro do Amor Incondicional, que trabalha na emissão de vibrações de amor, para iluminar os espíritos perdidos nas trevas, obsidiados. Não é um Raio, mas se harmoniza com Olorum.
Correntes Brancas do Oriente Maior – são as forças de Obatalá.
Corrente Indiana do Espaço – é a força que se projeta da Cabala Indiana, dos Grandes Iniciados. Não é um Oráculo, mas emite poderosa força utilizada nos trabalhos desobsessivos.
Com essa noção rápida das cabalas e oráculos, resta lembrar, para que possamos executar melhor nossos trabalhos, o seguinte:
1) Em três momentos, durante o dia – às 12, às 15 e às 20 horas – entramos em sintonia com o Oráculo de Simiromba. É a Hora do Jaguar, nas quais trabalhamos para nós mesmos, emitindo o que o plexo físico gera. Onde estiver, o Jaguar mentaliza o que quiser, o que precisar. A energia gerada naquele instante, alcança aquela pessoa mentalizada, e é levada aos Himalaias. A prece é uma chave. Pode, dependendo das condições do momento, ser complementada por outra prece. Mas é preciso que seja feita com muito amor.
2) Existem muitas cabalas, que não chegam a formar um oráculo, mas que emitem forças para ajudar nos trabalhos do Templo ou onde quer que esteja um Jaguar, harmonizado e com amor no coração.
3) A contagem, a hierarquia, a classificação dos mestres, faz-se em função de sua capacidade na manipulação dos Raios dos Oráculos e das forças cabalísticas. Não se pode obter da espiritualidade qualquer posição por prestígio ou favor. Tudo é concedido na Lei que dá a cada um de acordo com seu merecimento. E esse merecimento é medido pelo amor, pela dedicação do mestre, por sua humildade e tolerância.
4) “O teu pensamento acerca dos outros deve ser verdadeiro. Aquele que quiser trilar a senda, terá que aprender a pensar por si só. As saídas são mais dolorosas do que as entradas; dolorosas pelo frustramento e irrealizações que acaso nos produzem. Meus filhos: grandes revelações nos esperam. Quando falamos do que seja conhecimento da cabala, é preciso saber a hora de falarmos do assunto, porque a cabala é uma ciência mística, que não permite o emprego de homens pretensiosos ou vaidosos. No caso, é um desastre... A cabala precisa de liberdade para agir... No nosso ritual, a cabala é o leito das forças decrescentes, místicas...” (Tia Neiva – 28/10/1977)
5) Veleda, a grande pitonisa dos Germanos, foi morta em Roma, por Vespasiano, irado pela previsão que ela fizera da queda do Império Romano. Ela representava uma força viva, porque era a conjunção de 5 Raízes!
6) “Vamos pensar o que é um trabalho cabalístico. Cabalístico é trabalho de cabala, trabalho ritual, de gestos e cantos. A elevação do Doutrinador é um ponto cabalístico” (Tia Neiva – 19/09/1980)
7) “Meus filhos, estamos a remover séculos, em busca das raízes que deixamos. Voltamos! Sim, voltamos para evoluir o mundo, que ferimos quando nos afastamos de Deus!” (Tia Neiva – 07/09/1977)